Zaady

Por coronavírus, Ministério Público poderá fechar sede do SBT no Rio

A surcusal de jornalismo do SBT, no Rio de Janeiro, corre um sério risco de ser interditada por ter se tornado um grande foco de proliferação do novo coronavírus. Na última segunda-feira, 13, o editor de imagens José Augusto Nascimento Silva, de 57 anos, morreu vítima do Covid-19, após ser internado no Hospital Badim, na Barra da Tijuca.

IMAGENS: REDES SOCIAIS

De acordo com a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), estima-se que dos 75 profissionais que trabalham no local, 35 estejam infectados com a doença. Além da morte do editor, um cinegrafista do SBT Rio estaria internado em estado grave com o vírus.

Segundo informações da ABI, antes de morrer, o editor de imagens José Augusto gravou diversos áudios alertando para riscos de se continuar trabalhando e chegou a chamar o local de “epicentro da contaminação do coronavírus no Rio de Janeiro”, além de pedir o fechamento da emissora.

Entre os repórteres, editores, cinegrafistas e apresentadores que continuam trabalhando há o temor de que a matriz do SBT mande fechar sua representação no Rio e demita todos.

O Ministério Público do Trabalho do Rio (MPT-RJ) fez uma denúncia de forma conjunta com a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Sindicato dos Radialistas do Município do Rio de Janeiro e a Associação Brasileira da Imprensa (ABI) na última quinta-feira, 09.

“Nós entramos com uma denúncia no Ministério Público com a relação da sucursal do SBT no Rio. Muito estranho que uma emissora do porte do SBT, que está convivendo com esse problema há mais de 20 dias, não tenha tomada providencias quanto a isso. Chegou ao ponto de morrer uma pessoa e 35 delas estarem contaminadas”, disse Arnaldo Cesar, membro do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

A reportagem apurou que a inspeção sanitária foi feita ao longo desta terça, 14. Com a ameaça de liminar para fechamento do SBT no Rio.

Por redação