Zaady

Perfil do Instagram denuncia pessoas que estão furando a quarentena

Algumas festas clandestinas têm se espalhado por todo o Brasil, mesmo com a recomendação de isolamento e distanciamento social determinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Um internauta, que prefere não ter sua identidade revelada, criou um perfil no Instagram chamado ‘Fica em Casa, B*tch!’ para denuncia esses casos.

Durante uma conversa com a revista Marie Claire, o criador disse que o perfil quer conscientizar as pessoas a se manterem dentro de casa para reduzir o avanço do novo coronavírus pelo país.

“A gente tem visto festas acontecendo todo final de semana em todo o Brasil. As ‘resenhas’ também rolam quase que todos os dias. A ideia de fazer o perfil surgiu quando os próprios frequentadores começaram a postar em seus perfis e grupos de WhatsApp fotos desses encontros”, explica.

O anônimo disse ainda que o perfil não é focado apenas em festas com público LGBTQ+ e mostra inclusive pessoas que trabalham na área da saúde e frequentam esses espaços.

“Uma festa [que denunciamos] na cidade de Queimados, no interior do Rio de Janeiro, por acaso tinham muitos gays, mas também tinham heterossexuais. Como era eletrônico, atrai todos os públicos.”

De acordo com o art. 5º da Constituição Federal, “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurando o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”. O Código Civil também protege o direito de cada pessoa, conforme descrito no artigo 20, que diz que somente uma autorização poderia permitir a publicação de uma imagem.

Contudo, o idealizador da página na web não teme responder por um processo judicial por publicar as imagens de seus alvos sem esconder seus rostos e acredita que o crime maior é se contaminar, e contaminar outros que podem depender de uma UTI em meio ao colapso do sistema de saúde nos estados.

“Muitos ali se contaminam e são assintomáticos, já quem estava em casa cumprindo seu isolamento social, às vezes não. Não tenho medo do processo, porém sei que corro esse risco. Seria icônico alguém chegar em uma delegacia para registrar um boletim de ocorrência dizendo que foi exposto porque estava em uma festa clandestina. Queimados, onde teve essa Secret Pool Party, registra um dos maiores números de casos por habitantes no estado do Rio”, disse o mesmo.

Por redação

Siga o Portal Zaady nas redes sociais:

Instagram

Facebook 

You Tube