Zaady

Homem processa Apple pela 2ª vez e pede agora US$ 1 trilhão

Nos Estados Unidos, um rapaz entrou com um processo contra a poderosa Apple no Tribunal do Distrito Leste do Missouri, pedindo cerca de US$ 1 trilhão de indenização. De acordo com Raevon Terrel Parker, a Apple se aproveitou, indevidamente, dos novos recursos incluídos em seu iPhone 7 – entregue para a manutenção – para se inspirar e criar o iOS 12.

No dia 29 de outubro de 2018, Parker levou seu iPhone 7 a uma loja da Apple para a realização de um reparo, já que o eletrônico havia apresentado defeito. De uma forma estranha, ele afirma que havia incluído em seu telefone alguns novos recursos, que faziam o aparelho funcionar melhor e facilitavam a comunicação com outros dispositivos moveis. Parker disse que o atendente consertou o smartphone, mas fingiu não saber que aquele era o primeiro aparelho da Apple com aqueles novos recursos.

Parker ainda informou possuir patentes para o iOS 12 e iOS 13, que teriam sido desenvolvidos incluindo os recursos criados por ele, após o mesmo ter levado seu telefone “melhorado” para o conserto. Em sua concepção, a Apple lucrou trilhões de dólares com a apropriação indevida de seus bens pessoais e que, por isso, ele deve ser recompensado pela maça.

Ele está pedindo US$ 1 trilhão em indenização porque está se sentindo lesado, devido aos gastos que teve com hospitalizações e viagens, além da humilhação, angústia, constrangimento e difamação pela qual alega ter passado no periodo.

Segundo o Apple Insider, Parker já havia entrado com um processo contra a empresa no ano passado, mais precisamente no mês de março. Naquela ocasião, ele solicitou uma indenização de US$ 2 trilhões.

No primeiro processo, Parker exigiu US$ 1 trilhão pelo valor de seu iPhone 7, mais US$ 1 trilhão pelo iOS 12, o reconhecimento da mentalidade dele próprio como “item de valor inestimável” e, de quebra, mais US$ 900, que seria a taxa de aluguel que a Apple deveria pagar pelo tempo que o telefone ficou no conserto.

Por redação