Zaady

Mãe de Ricardo Boechat faz desabafo emocionante em favor do ser humano e gera comoção

A mãe do jornalista Ricardo Boechat, a argentina Dona Mercedes surpreendeu a todos ao pedir para falar no velório do seu filho.

Muito emocionada, Mercedes falou com sabedoria a trajetória do filho. Mostrando bom humor, mas é claro muita sensibilidade, ela comoveu todos os presentes.

“Era um bebê que quando nasceu, o médico disse para minha mãe: ainda bem que é menino porque é muito feio. Foi um patinho feio, nasceu feinho, mas com dois meses era um bebê muito bonitinho. Bocão grande, carinha muito cor de rosa, carequinha. Quando começou a falar, começou perfeitamente.

Era um menino que os velhos gostavam muito porque ele gostava de falar com as pessoas de idade, pequenininho. Perguntava as coisas e nós velhos gostamos de contar.

Eu acho que ele ia ficar assombrado com a quantidade de gente que demonstrou carinho por ele. Ele não fazia as coisas pensando em recompensa. Eu fiquei de boca aberta com os depoimentos de todas as pessoas de todas as classes sociais sobre o meu filho.

Aquelas placas de táxis que colocaram em cima do caixão dele foram coisas maravilhosas. Eu falei: gente, agora sim. Eu tenho muito orgulho do homem que foi meu filho. Ser âncora é um adereço, tenho orgulho do homem correto, sincero. O homem que tanto falava com o faxineiro, com o mendigo com o mesmo carinho que falaria com qualquer pessoal. Um tipo que fazia a verdeira caridade sem esperar reconhecimento. Respeito a vida, ao ser humano, que todos somos iguais. E que um porteiro e um médico tem o mesmo valor porque é importante para toda a sociedade. Que não se trate o pobre, o desvalido com desdém. Não vamos acabar com os problemas sociais se não exigimos o respeito que o povo tem que ter e merece ter. 

Todos nascemos nessa Terra e temos esse direito. Hospitais que nos atendam com descência. Colégios públicos em que as crianças possam aprender. Temos muito o que aprender”, disse a mesma.