Zaady

Glamour Garcia desabafa sobre agressão do ex-marido

A atriz Glamour Garcia usou sua rede social para desabafar após ter publicado, nos últimos dias, uma série de videos emocionada e contando ter sido agredida pelo ex-marido, Gustavo Dagnese, durante uma nova lua de mel.

“Venho primeiro me retratar com meu público com um possível entendimento de intolerância religiosa da minha parte. Acabei me voltando contra os objetos pessoais do meu ex-companheiro como forma de me proteger de uma agresão física e moral que estava acontecendo comigo”, começou.

A artista fez questão de ressaltar que essa foi a primeira vez que a mesma conseguiu reagir as agressões, por sempre ficar paralisada. “Meu ex-companheiro tem essa fé, ele é umbandista. Infelizmente, em um momento de muita tristeza, muita dor e incompreensão do que estava acontecendo, eu acabei me voltando contra os objetos pessoais, e acabei estourando a guia dele”, contou.

 

A loira ainda falou que isso contribuiu para a situação só piorar. “Com isso, abriu-se o precedente para que se tornasse uma desculpa e continuasse o comportamento abusivo e agressivo dele. Por isso, eu me manifestei do jeito que foi porque estava muito revoltada”, explicou.

A global relembrou que seu ex-companheiro fugiu e a abandonou, e se desculpou com o público: “Eu me desculpo do fundo do meu coração e da minha religião e da minha fé, que não permite desigualdade, violência e muito menos agressão”.

“Pela primeira vez tive força de reagir e isso já é uma grande vitória ” afirmou.

Glamou comentou que não tinha nenhuma intenção de contar isso para o público, mas que acabou gravando os vídeos para revelar essa impunidade. “Foi uma forma de me comunicar com o público e denunciar essa situação, e lutar contra essa impunidade, da qual eu não conseguia me ver livre. Por um ciclo de violência, um relacionamento abusivo, por medo e minhas próprias fraquezas, e agradeço entenderem esse momento de dor para mim”.

Ela ainda disse que vem passando por isso há cerca de 4 meses, junto com o melhor momento de sua vida profissional.

“Dessa vez, como eu me defendi, procurei tentar chamar a polícia, o  episódio ficou bem menos drástico do que em outros momentos que aconteceram no fim do ano. Graças a Deus, desta vez não fui totalmente espancada como das outras vezes”, desabafou.

“Rezo para que essa situação se resolva. Isso não quer dizer (que eu tenha que) me calar ou mais uma vez fechar os olhos para essa dor que eu sinto, que não é só psicológica, é física, me permitir ser agredida fisicamente como permiti durante meses”, finalizou.

Por redação