Zaady

Exclusivo: Mister é eleito sem concurso e acusado de comprar a faixa

O atual Mister Sergipe 2018, Igor Leite, foi acusado pelo também modelo chamado Igor Fonseca, de ter comprado a faixa do título estadual deste ano.

O nosso site teve acesso a conteúdos de áudio e prints de conversas que revelam que houveram negociações feitas entre o eleito e a organização do concurso. A polêmica começou após o comunicado do coordenador regional do estado de Sergipe, Abel Wesley, que dizia que não haveria mais o concurso.

“Boa tarde à todos!

Venho comunicar através deste que não mais ocorrerá o Mister Sergipe, pois a franquia do mesmo para que eu possa leva o representante, está custando 4 mil de inscrição, 3 mil do hotel e passagem, trajes para a mala do candidato 2.500, mais 3.500 da minha parte. Um total de 13 mil reais com a despesa para ir com o vencedor. Um gasto absurdo, ao qual não estou disposto a pagar, pq não vejo que valha a pena”, dizia o comunicado.

O mesmo ainda pediu um prazo pra devolução do dinheiro das inscrições feitas pelos candidatos para o concurso. Ao ser questionado pelo denunciante sobre uma data específica, Abel respondeu: “A sugestão é: Peço a você um prazo para devolução do seu dinheiro da inscrição ou daremos continuidade com o projeto do Mister Sergipe, mais que ele será franqueado pela minha própria agência e dou 2 mil em premiação aos vencedores. Aí seria mister Sergipe 2019 versão WA.agência. Fica para vc escolher amigo e mil desculpas”, concluiu.

Dias depois Abel teria entrado novamente em contato com Igor para informá-lo que um dos candidatos seria eleito sem concurso, após ter conversado com a organização nacional e oferecido pagar pelas despesas. “O cara manda mensagem para mim dizendo que tem um candidato que quer e que tem condições de ir e representar o estado. E mais, falou horrores de mim e depois fez um grupo ao qual mim exclui e diz que eu enrolei vocês”, disse Abel se referindo a uma conversa que teve com o coordenador nacional Ander.

Tivemos acessos também a parte desses áudios que mostram até um possível desentendimento entre os dois organizadores.

“Oi, Abel. Tudo bem? Aqui é o Ander tomo conta da parte da organização e coordenação do mister e um dos candidatos veio falar com o Ralfi, e o Ralfi me passou uma situação referente. Você não fará mais o concurso, mas esse candidato ficou bem interessado” disse Ander num trecho do áudio.

Ao responder Ander, Abel foi direto ao assunto “Então cara, eu não irei enviar um candidato”, falou Abel

Irritado Ander ainda questiona: “Não gosto de ser chamado de cara, porque desde o primeiro momento estou chamando você pelo nome e gostaria que você me tratasse da mesma forma. Tudo bem?” desabafou o mesmo e tocou novamente no assunto do candidato agora eleito “ Tem esse menino que quer vim por Sergipe, se você quer então dá o título e manda ele, então a gente pode entrar num consenso que seria ele o menino que viria de Sergipe, se você não tem outra indicação ou não se impor. Você está disposto a aclamar esse menino? Que tem dinheiro e que tem condição de bancar. Dá pra fazer isso?” Concluiu

Ao ser procurado por nosso site a Abel Wesley confirmou a compra da faixa e que não faz mais parte do projeto “Esse Igor Leite, junto com o Ralfi montaram um grupo no WhatsApp e começaram a meter a bomba em mim, dizendo que eu fui mentiroso e enganador e tinha cobrado valores a mais. Eu entrei em contato com a coordenação e perguntei se isso era uma atitude correta de um coordenador geral. Depois daí começou a indicação da compra da faixa e ficou decidido por eles que seria Igor Leite”, revelou Abel.

reprodução internet

Em resposta as acusações, o então Mister negou que tivesse comprado o título “Deixo bem claro! Eu só me responsabilizo pelos meus atos e se estou em algo é por vias normais e reais. Sou modelo há mais de 9 anos, e nunca me envolvi em nada. Tenho a minha vida pública limpa e jamais me envolvi ou fiz algo que precisasse comprovar”, disse Igor.

Ele ainda enfatizou que já possui outros títulos e não precisaria ter comprado uma faixa se já possui reconhecimento: “sou mister por méritos e não por isso ou aquilo. Tenho títulos regionais, estaduais, nacional e dois internacionais. Nunca precisei comprar ou pagar títulos de Mister” concluiu o mesmo.

Já Igor Fonseca, afirma ter existido sim a compra, uma vez que não houve concurso e existe agora um eleito, e que inclusive pagou pela inscrição uma taxa no valor de R$ 350,00 reais, e que até hoje não recebeu a devolução. “Acho incrível o mal caráter dessas pessoas, honestamente paguei minha inscrição, vinha me preparando fisicamente e do nada o concurso é cancelado e um Mister já existe? Como assim? Me sinto lesado”, disse Fonseca.

Nosso site não conseguiu entrar em contato com Ander e Ralfi citados na reportagem até o final dessa matéria.

Por André Zaady