Zaady

DJ quer processar Anitta por usar sua marca ‘150 BPM’

A cantora Anitta pode ser processada após lançar uma bebida com o nome de “Skol Beats 150 BPM”, marca registrada pelo DJ Polyvox, produtor musical, criador da batida.

Acontece que no último mês a cantora Anitta, que também é chefe de criação e inovação da AMBEV,  iniciou uma divulgação intensa para a nova bebida da empresa mas não esperava que o DJ iria iniciar um processo alegando apropriação intelectual. Ele pede que as propagandas que utilizam esse nome, sejam retiradas de circulação imediatamente.

No último dia 21, o desembargador Natan Zelinschi interpretou que o nome ‘150 BPM’ está vinculado com o DJ e o nome consta na embalagem da bebida alcoólica sem a sua autorização e que a publicidade ‘Skol 150 BPM’ deveria ser retirada de circulação.

“A embalagem do produto da Ambev apresenta a expressão ‘150 BPM’ que já estava sendo utilizada pelo autor anteriormente, e que, ‘a priori’, é de sua própria criação. Ademais, 150 BPM – batidas por minuto, caracterizaria inovação musical ao funk. Assim, há indícios suficientes para a concessão da antecipação da tutela recursal, pra que cesse os atos praticados pela agravada, de plano, envolvendo a publicidade do produto Skol Beats 150 BPM, haja vista a utilização sem autorização do autor da expressão correspondente”, disse o desembargador solicitou ainda que a AMBEV, e até o Kondzilla, fossem intimados para que a decisão fosse informada e para que eles possam tentar o recurso da sentença.

Kondzilla Filmes também está sendo processado pelo DJ Polyvox por causa dos clipes de funks clássicos publicados recentemente por eles, que teve por objetivo de divulgar a bebida roxa da Anitta. Nos clipes, a empresa usou a batida 150 BPM para fazer uma releitura das músicas “Já É Sensação” e “Glamourosa”.

O caso está sob responsabilidade da Comarca de São Paulo. Anitta e AMBEV chegaram a ser advertidos anteriormente pela Conar após um consumidor fazer uma reclamação em um post da cantora pelo fato do público dela ser, em sua grande maioria, jovens e a bebida conter álcool. O órgão advertiu os dois pela falta da frase “Beba com moderação” nas divulgações e em decorrência do apelo direto ao consumo do produto.

Por redação